sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Medo


Aposto que só de ler o nome que dei ao meu texto de hoje a maioria dos leitores, pelo menos, ficou curiosíssima pra saber o que é que eu iria escrever logo abaixo. Pois bem, sobre aquilo que todos fugimos mas que nos persegue a todo instante. Esse sentimento impiedoso nos assola principalmente com as manchetes de jornais e revistas, com imagens impactantes e com palavrinhas que nos deixam profundamente incomodados. Mas o que venho escrever neste post desta vez não é sobre o medo da violência e da criminaidade, até porque esse tema foi bastante discutido e já está até desgastado. Hoje, quero discutir sobre o medo que nos impede de viver livremente, da forma como queremos. E falo mas especificamente sobre o medo de se expressar. Este blog foi uma das formas que encotrei de me libertar de algumas dificuldades. Constantemente somos monitorados e forçados a escrever da forma "correta" para os professores. Isso, de certa forma, foi me limitando um pouco. A menina que antes adorava fazer poesia, escrever crônicas e criar versinhos no roda-pé da folha do caderno se tornou o "robozinho" programado pra escrever textos concisos, formais, e restritos a quatro parágrafos e a uma determiado número de linhas. E os meus pensamentos viraram passarinhos tristes dentro de uma gaiola, com o tempo foram se acostumando a aquele lugarzinho pequeno, que de vez em quando jogavam alpiste pra continuar cantando. Mas, por favor, caros leitores, não quero com isso dizer que devemos abolir tudo o que nossa língua tem a nos oferecer e virar estrangeiros dentro de nosso próprio país. Falo aqui sobre a restrição dos pensamentos e tentativa de tornar tudo o que escrevemos neutro (o que é totalmente impossível), ou que esteja de acordo com o que uma banca de avaliadores ou um professor deseja ler. Por tanto já chega! Não quero mais os cantos tristes! Fora o formalismo literário exigido em escolas, vestibulares e faculdades. As pessoas tem difuldades de escrever justamente porque quando abrem a gaiola elas seus pensamentos tem medo de voar! A liberdade de expressão foi garantida com o fim da ditadura mas as regras e padrões da redação nas instituições de ensino só prejudicaram aquilo que tinhamos como direito! Vamos contruir um Brasil mais criativo, vamos nos libertar das amarras e ganhar gosto pelo há de mais bonito e sincero a PALAVRA!

2 comentários:

Karen disse...

Nééémmm...oq foi issso????
Ta de parabéns!!!!
Amei cade palavra, cada virgula
e cada pontinho...
bjim

EU AMO disse...

"EU VI UMA MENINA CORRENDO, EU VI O TEMPO!"

MEU DEUS, MINH´ALMA TÁ DE QUATRO! QUE VERSOS ESSES JESUS!!??? ADOREI. NAO PARE NUNCA DE ESCREVER(NEM DE LER)